top of page

Júlia Senna – Diretora de Marketing

Como você se define como pessoa (alegre, introspectivo, perseverante, teimoso, maleável ou qual característica)?


Na minha opinião, qualquer definição nos limita. Podemos ser de uma maneira em determinados tempos e de outras em outras épocas. Mas eu me enxergo como uma pessoa resiliente, pois acredito que tenho a capacidade de lidar com situações desafiadoras, de me adaptar a mudanças e encontrar soluções criativas para problemas, sem perder a mentalidade e perspectiva positiva mesmo em momentos difíceis. Como “ninguém faz nada sozinho” e como mãe de gêmeas, conto com o apoio de muitas pessoas, familiares e amigos que sempre tem uma palavra de apoio e de incentivo, e isso faz toda diferença na pessoa que somos, não é?

– O que gosta de fazer no tempo livre? Tem algum hobby?

Gosto de aproveitar o (pouco hehe) tempo livre que tenho com as minhas filhas gêmeas de 2 anos e 9 meses, com meus amigos e familiares. Ler no Kindle é uma coisa que faço todos os dias. Gosto muito de livros de negócios e espíritas.

– Gosta mais de filmes, música ou leitura? Se tiver alguma preferência por algum deles, ou por todos, pode nos dar dicas?

Gosto. Filme: O nome da Rosa. Música: Coldplay. Leitura: “Violetas na Janela”.

– Na gastronomia você se define mais como uma apreciadora, chef ou ambos? Tem algum sabor inesquecível. Por quê? Que dica pode dar (receita) para o público?

Ambos! Como uma boa taurina, adoro uma boa cozinha. Meus amigos dizem que cozinho muito bem, inclusive a presidente do CVG RS, Andréia Araújo (kkk). A dica na cozinha é sempre fazer tudo com calma e amor. Esse é o verdadeiro tempero, mesmo que você não tenha todos os ingredientes da receita.

– O que te traz bem-estar emocional?

Estar com as minhas filhas gêmeas e com as demandas do JRS em dia.

– A saúde física é outro atributo importante para a qualidade de vida. Tem alguma dica ou rotina que goste de seguir durante o dia?

Tenho que melhorar nesse aspecto, mas eu tento ir à academia com frequência ou subir e descer as escadas do prédio em que moro. É como se fosse um momento que eu fico sozinha com meus próprios pensamentos hehehe.

– O que mais te atrai em sua profissão? O que mais te marcou nesses tempos de trabalho?

Escolhi ser jornalista depois de ver o meu pai exercer a profissão por anos e achar incrível aquilo que ele fazia. Na época, ainda criança, eu achava que não tinha capacidade para fazer o que ele fazia, mas ele foi me convencendo do contrário… E não é que ele tava certo? Não me imagino fazendo outra coisa. Claro que atuo no setor voltado para o mercado de seguros, que tem suas peculiaridades, mas eu não trocaria por nada. Um fato que me marcou bastante foi quando concorri ao Prêmio Nacional de Jornalismo em Seguros por duas vezes e, ambas as vezes, por reportagem em vídeo do Programa Seguro Sem Mistério, do JRS no Canal 20 da NET-RS.

– Cite uma viagem marcante. Alguma cidade para indicar?

Uma viagem que eu sempre cito e amo é o Rio de Janeiro. Creio que o Cristo Redentor é visitação obrigatória, aquele lugar tem uma aura e energia incríveis.

– Qual seria sua palavra para 2023?

Coragem.

Comments


bottom of page